Empresário doa R$ 4.500 à família de menino assassinado

A morte do garoto Brayan Yanarico Capcha, de 5 anos, criou uma rede de solidariedade de bolivianos no Brasil. Um empresário e presidente de uma organização não governamental (ONG) de direitos humanos que não quis se identificar deu R$ 4,5 mil à família para cobrir o que foi levado pelos ladrões. "Estou tentando fazer minha parte."

LUCIANO BOTTINI FILHO, Agência Estado

02 de julho de 2013 | 08h33

Outros contribuíram como podiam. De origem boliviana, a advogada Patrícia Veiga defende a família de graça. Patrícia ajudou a comprar uma roupa branca para vestir Brayan para o velório. A família buscou, sem sucesso, uma peça de roupa do Pica-Pau; o menino queria um boneco do personagem de aniversário, que seria neste sábado, 6. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.