Empresas de private equity se unem para fechar capital da BMC Software

As empresas de private equity estão unindo forças no leilão da BMC Software, disseram quatro pessoas familiares ao assunto nesta quinta-feira, tornando mais provável que a fabricante de software feche o capital em um negócio que pode chegar a 6 bilhões de dólares.

GREG ROUMELIOTIS E NADIA DAMOUNI E SOYOUNG KIM, Reuters

21 de março de 2013 | 16h13

As ações da BMC chegaram a subir mais de 9 por cento e tinham alta de cerca de 4 por cento nesta tarde, avalizando a companhia em cerca de 6,6 bilhões de dólares.

A KKR e a TPG Capital formaram um consórcio, disseram as pessoas, sob a condição de anonimato porque o processo é confidencial. A Bain Capital e a Golden Gate Capital formaram outro grupo para o leilão, adicionaram.

A Thoma Bravo está participando em um terceiro consórcio, disse uma das pessoas. Nenhuma das fontes revelou quanto as empresas de private equity estariam dispostas a pagar pela BMC.

O processo já passou pelas primeiras rodadas de propostas e estão ocorrendo apresentações da direção, disseram as fontes, acrescentando que as propostas finais são esperadas nas próximas semanas.

Um porta-voz da BMC se recusou a comentar, assim como KKR, TPG, Golden Gate, Bain e Thoma Bravo.

Tudo o que sabemos sobre:
TECHBMCPRIVATEEQUITY*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.