Enchentes e deslizamentos de terra matam 20 nas Filipinas

Enchentes e deslizamentos de terra causados por quase uma semana de chuvas fortes mataram 20 pessoas e desabrigaram 300 mil nas Filipinas, disseram autoridades na quinta-feira. Grandes áreas da ilha de Mindanao, ao sul, e a parte leste do arquipélago (a partir da região de Bicon, até as ilhas de Samar e Leyte) estão inundadas, disse Glenn Rabonza, chefe da agência de atendimento a desastres do governo. "Estamos passando por um período de chuvas fortes bastante incomum, trazidas pela frente fria", disse Rabonza a repórteres, acrescentando que muitas áreas estão de 1,2 a 2 metros submersas. Rabonza disse que cerca de 20 pessoas se afogaram em rios que transbordaram ou foram soterradas em deslizamentos de terra. Já cerca de 63 mil famílias (pouco mais de 300 mil pessoas) tiveram de deixar suas casas devido ao tempo anormal. Autoridades locais e líderes religiosos de Mindanao, a área mais atingida, fizeram um apelo ao presidente e às agências não-governamentais para que envie comida, água potável e cobertores para mais de 115 mil pessoas desalojadas. "Não temos comida suficiente, apesar das doações de grupos privados e de indivíduos", disse Constantino Jaraula, prefeito da cidade de Gagayan de Oro, acrescentando que seus estoques só durarão quatro dias. "A cada hora, o número de famílias afetadas aumenta. Estamos fazendo um apelo por ajuda". Os deslizamentos de terra e as enchentes são comuns nas Filipinas, durante os meses de monções, entre maio e outubro. Autoridades dizem ter se surpreendido com as chuvas fortes e contínuas nesta época do ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.