Encontrada no Egito múmia que pode ser da rainha Seshestet

Arqueólogos encontraram uma caveira, pernas, pelve e outras partes de um corpo envoltas em linho

Reuters

08 Janeiro 2009 | 11h33

Arqueólogos egípcios encontraram os restos de uma múmia que se acredita ser da rainha Seshestet, mãe de um faraó que reinou sobre o Egito no século 24 a.C, informou o governo nesta quinta-feira, 8. Depois de passar cinco horas para abrir a tampa de um sarcófago numa pirâmide descoberta no ano passado ao sul do Cairo, os arqueólogos encontraram uma caveira, pernas, pelve e outras partes de um corpo envoltas em linho, além de cerâmicas antigas, disse o departamento de antiguidades do governo. Também foram encontrados envoltórios de ouro que teriam sido colocados nos dedos da pessoa mumificada. Ladrões de túmulos vasculharam a câmara mortuária ainda na antiguidade e roubaram os outros objetos. "Embora os arqueólogos não tenham encontrado o nome da rainha sepultada na pirâmide, todos os sinais indicam que ela é Seshestet, mãe do rei Teti, o primeiro faraó da 6a Dinastia", disse o arqueólogo chefe, Zahi Hawass, em comunicado. Teti governou o Egito por pelo menos dez anos por volta de 2300 a.C. e foi sepultado nas proximidades. Arqueólogos já encontraram muitas múmias reais da antiguidade egípcia, mas a maioria é do Reinado Novo, que começou 500 anos após o tempo de Teti.

Mais conteúdo sobre:
EGITOMUMIARAINHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.