Enfarte sem sintoma é mais comum em mulheres

As mulheres, especialmente as jovens, são mais propensas que os homens a procurar hospitais sem sentir dor ou incômodos no peito após um enfarte e também têm mais chance de morrer que os homens na mesma faixa etária, mostra um novo estudo americano, publicado Journal of the American Medical Association.

NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

23 de fevereiro de 2012 | 03h03

"É possível que elas sequer saibam que estão sofrendo um ataque cardíaco", disse John Canto, da Watson Clinic, em Lakeland, Florida, um dos autores do estudo. Canto e seus colegas analisaram os antecedentes médicos de uma base de dados nacional de pacientes com ataques cardíacos entre 1994 e 2006, incluindo cerca de 1,1 milhão de pessoas tratadas em 2 mil hospitais.

Os cientistas descobriram que 31% dos homens e 42% das mulheres não apresentaram dor ou mal-estar no peito. Segundo Canto, os dados desafiam a noção de que o mal-estar e a dor no peito deveriam ser considerados os "sintomas-chave" para todos os pacientes com ataques cardíacos.

As mulheres de 45 anos corriam 30% mais riscos que os homens da mesma idade de ter um enfarte sem apresentar dor no peito. O número cai para 25% na faixa entre 45 e 65 anos e a diferença desaparece após os 75 anos. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.