Enfermeira espanhola estaria curada de Ebola

Exames iniciais mostraram que a enfermeira espanhola Teresa Romero, de 44 anos, que estava internada com Ebola, está curada. A informação foi divulgada pelas autoridades espanholas, quase duas semanas depois de Teresa apresentar sinais da doença.

AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

19 de outubro de 2014 | 23h49

Ela pegou Ebola depois de tratar os padres espanhóis Miguel Pajares e Manuel García Viejo, que se contaminaram na África e morreram logo depois de chegar à Espanha. Teresa está internada em ala reservada do hospital Carlos III, em Madri.

De acordo com o diretor de Microbiologia do hospital, Manuel Cuenca, ainda é preciso fazer um segundo exame para ter certeza da recuperação. Outras 16 pessoas permanecem em quarentena no Carlos III, incluindo o marido de Teresa, Javier Limón – ninguém apresenta sinais da doença. Horas antes do anúncio, um protesto em Madri pediu a renúncia da ministra da Saúde, Ana Mato

Libéria. Em carta destinada ao mundo, a presidente da Libéria, Ellen Johson Sirleaf, pediu ontem que todos os países unam esforços contra o Ebola e enfatizou que o vírus ameaça toda uma geração. “Em todo o oeste da África, uma geração de jovens corre o risco de se perder pela catástrofe econômica.” 

Mais conteúdo sobre:
Ebolasaúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.