Enfermeira pode ter sido vítima do desabamento em SBC

Cerca de 40 homens do Corpo de Bombeiros trabalham neste momento, com o auxílio de uma retroescavadeira, à procura de uma vítima que pode estar entre os escombros do edifício que desabou parcialmente ontem à noite, na Avenida Índico, centro de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. Segundo os bombeiros, uma criança de 3 anos morreu e seis pessoas ficaram feridas.

SOLANGE SPIGLIATTI, Agência Estado

07 de fevereiro de 2012 | 13h08

A área em torno do prédio está interditada e os trabalhos de buscas devem durar o dia todo. O tenente do Corpo de Bombeiros, Marcos Palundo, disse que não há risco de o prédio desabar totalmente. O edifício tem 14 pavimentos, além do subsolo.

As equipes de busca trabalham com a possibilidade de a enfermeira Patrícia Alves, de 26 anos, estar entre os escombros, no subsolo do edifício. Ela está desaparecida desde ontem à noite. Parentes de Patricia acompanham as buscas.

O pai da enfermeira, Deusdetite Farias, disse que ontem, às 17h, falou com a filha por telefone. Ele informou que Patrícia trabalhava em um consultório médico no sexto andar do prédio, construído há 30 anos.

O prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho, declarou hoje pela manhã que o alvará de funcionamento do edifício estava em dia.

A Defesa Civil do município descarta a hipótese de ter ocorrido uma explosão antes do desabamento. O Corpo de Bombeiros informou que as infiltrações encontradas no local foram provocadas pelo desabamento. As informações são da Agência Brasil.

Tudo o que sabemos sobre:
desabamentoSBC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.