Ensolarado picles do Marrocos

Ingrediente básico da cozinha local, o limão-siciliano em conserva é um picles dos bons

Mark Bittman/THE NEW YORK TIMES,

21 Outubro 2010 | 08h39

 

 

 

Ingrediente básico da cozinha marroquina, o limão-siciliano em conserva é um picles, e dos bons. Use o limão inteiro - a casca e o resto. A cura é feita em seu próprio suco, com sal e açúcar. Mas, como ocorre com a maioria dos temperos, a receita varia de cozinheiro para cozinheiro. Assim, podem aparecer echalota, alho, louro, sementes de coentro, chile em flocos ou canela em pau.

Nesta receita rápida, o termo "em conserva" não é força de expressão. Se você fizer direitinho, os limões vão durar um ano, como a maioria dos picles. Mas fazer direito significa deixar os limões descansarem por semanas - e você pode querer esse ingrediente doce-azedo-salgado logo, sem esperar muito.

 

Confira a receita

linkLimão siciliano em conserva, versão rápida

 

Aí entra o jeito minimalista. Nesse caso, o limão não é em conserva, mas o sabor é parecido - e ótimo -, além de levar só três horas para ficar pronto.

Como você vai usar limões inteiros, retire a fina camada de parafina que os recobre - se forem orgânicos, melhor. Escalde-os em água fervente por 30 segundos e depois esfregue com uma toalha, para remover a parafina. Corte os limões em cubos, com casca, e ponha numa vasilha, com sal kasher ou sal grosso (se usar sal comum, use menos) e açúcar. As quantidades na receita são as da minha proporção, você pode ajustar.

Dê pelo menos três horas para os limões "assentarem", mexendo-os ou agitando a vasilha de vez em quando. Como com os limões em conserva tradicionais, quanto mais tempo estes marinarem, melhores ficarão. Refrigerados, durarão, no mínimo, uma semana. E, como a versão tradicional, complementam quase qualquer ensopado, peixe ou frango cozido e praticamente tudo que se puser num prato.

 

 

Veja também:

linkS.A.F.B. - Serviço de Atendimento ao Fazedor de Bolo

linkO molho italiano da secular discórdia

linkNo encontro dos chefs, Slow Food e sustentabilidade

linkMedir, misturar, assar e decorar

linkO encontro de Lafite com Catena

linkEm memória de Marcel Lapierre

linkCada vez mais espaçoso

linkCafé Serra da Grama vai à festa da francesa Hédiard

linkCarta da Talchá terá ‘rooibos’ e ‘pu-ehr’

linkBoleiro itinerante é afiado nas respostas

blog Blog do Paladar

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.