Entidade acusa governo de omitir dados sobre alcoolismo

O governo impediu a divulgação de uma pesquisa sobre consumo de álcool dos brasileiros por quase um ano, por considerar o resultado desfavorável. A acusação foi feita hoje pelo presidente da Associação Brasileira de Estudos sobre Álcool e Drogas (Abead), Sergio Ramos, e por pesquisadores contratados pela Secretaria Nacional Antidrogas (Senad) para fazer o 1º Levantamento do Padrão de Consumo de Álcool dos Brasileiros. A pesquisa mostra que os adolescentes começaram a beber mais cedo e em quantidade igual a dos adultos. Segundo Ramos, o estudo estava pronto para ser apresentado no congresso de setembro do ano passado, em Santos, no litoral paulista, a um mês das eleições presidenciais. "Houve uma piora dramática nos últimos sete anos e o governo se envergonha desses dados, tanto que segurou até agora", acusou o presidente da Abead, durante o 19º Congresso da Abead.De acordo com ele, a Senad só divulgou o resultado depois que pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) entraram em contato com o departamento jurídico da instituição para avaliar alternativas de como poderiam publicar o resultado. Dois pesquisadores da Unifesp que participaram do trabalho confirmaram a denúncia de Ramos, mas pediram para não serem identificados. Segundo eles, havia um temor na Senad de que os números da pesquisa pudessem ser usados na campanha eleitoral contra o PT.Outro ladoA secretária nacional Antidrogas em exercício, Paulina Duarte, contestou a acusação dos pesquisadores. Segundo ela, o relatório do levantamento foi entregue apenas dois dias antes de ser divulgado à imprensa. "Eles nem conseguiram concluir uma parte, que era sobre a população indígena e tivemos que contratar outras pessoas para fazer", disse ela.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.