Entidades criticam ação da PF em confronto com índios

Cinquenta entidades assinaram um manifesto criticando a atuação da Polícia Federal (PF) no confronto com os índios da etnia Munduruku, ocorrido na manhã de quarta-feira (7) na Aldeia Teles Pires, na divisa entre os Estados de Mato Grosso e do Pará. Nesta sexta-feira (9), diversas entidades de Cuiabá realizaram um ato público em defesa dos povos indígenas. Eles responsabilizam o governo brasileiro pelo ocorrido e exigem que os fatos "sejam apurados e os culpados pelos ataques e assassinato do índio Munduruku sejam criminalmente penalizados".

FÁTIMA LESSA, Agência Estado

09 de novembro de 2012 | 20h17

Na avaliação das entidades, o episódio é "mais um capítulo de uma novela pautada pelo descaso, violência e destruição das terras e dos povos indígenas". No manifesto, os signatários destacam que "500 anos se passaram desde a chegada européia a pindorama, mas o confronto repete o que ocorria no inicio da invasão. Índio (Munduruku) com flecha defendendo o seu território, e branco (Policial Federal) com arma de fogo abatendo quem encontrava pelo caminho".

Dentre os signatários do documento estão o Movimento Xingu Vivo, a Comissão Pastoral da Terra (CPT), o Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFPA e partidos políticos, como o PSOL e o PSTU. O grupo diz que a operação da PF atende a "interesses de empresários, ávidos pelos recursos minerais em terras indígenas". O documento será encaminhado para a presidente Dilma, Senado e Câmara dos Deputados e organismos internacionais de defesa dos direitos humanos.

Tudo o que sabemos sobre:
índiosPFMTmanifesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.