ENTREVISTA-Guarani elevará plantio de cana em 13% na próxima safra

A Guarani, uma das maiores empresas de açúcar e etanol do país, vai aumentar em 13 por cento a área com cana na próxima safra, em busca de diminuir a ociosidade das usinas.

GUSTAVO BONATO, Reuters

13 de novembro de 2012 | 16h51

Após plantar 54 mil hectares na atual safra 2012/13, incluindo área própria e de terceiros, a empresa pretende utilizar 61 mil hectares na próxima temporada, disse o diretor-presidente da empresa, Jacyr Costa, nesta terça-feira.

"Estamos crescendo no sentido de redução de custo. Estamos otimizando a capacidade instalada de nossas usinas", disse ele em entrevista à Reuters.

Até 2015, a Guarani pretende moer 23,5 milhões de toneladas de cana por ano, usando toda a capacidade que estará instalada, considerando uma projetada ampliação.

Além de plantar mais, haverá ampliação das usinas Tanabi e Vertente, num acréscimo total de 1,8 milhões de toneladas de capacidade anual de moagem.

"Não vamos ter nenhuma usina com escala inferior a 2,5 milhões de toneladas", disse Costa.

"Nós não estamos fazendo greenfield. Estamos otimizando nossas fábricas de forma que elas se tornem mais competitivas e consigam gerar uma margem maior na atividade."

Parte da estratégia está em rentabilizar com a cogeração de energia elétrica, a partir da queima de subprodutos da moagem de cana.

No trimestre entre julho e setembro deste ano, a cogeração nas usinas da Guarani já aumentou 154 por cento, para 239 MWh, ante 94 MWh no trimestre anterior.

Segundo o presidente da empresa, o objetivo é atingir 1,2 mil MWh na safra 2015/16, contra projeção de 450 a 470 MWHh na atual temporada.

Costa concedeu entrevista após a divulgação de resultados trimestrais da Tereos Internacional, controladora da Guarani, que foram divulgados nesta terça-feira.

No segundo trimestre fiscal da empresa, entre julho e setembro, o lucro líquido aumentou para 39,1 milhões de reais contra 2,4 milhões no mesmo período do ano passado.

A receita da empresa foi de 1,9 bilhão de reais no período, crescimento de 17 por cento em base anual, impulsionada por um maior volume de vendas das operações de cana-de-açúcar e de cereais.

A Tereos Internacional é controladora da Guarani, que tem fatia minoritária detida pela Petrobras Biocombustíveis.

A Tereos Internacional também atua na Europa e na costa da África no oceano Índico.

Costa, que está de saída do cargo, passará em breve a participar do comitê executivo do Grupo Tereos, controlador da Tereos Internacional.

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAGUARANIPLANTIO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.