Entrevista: Philip Rosedale, criador do Second Life

'No futuro, avatares serão tão comuns quanto telefones'

07 Janeiro 2008 | 00h00

Nova "bolha digital" ou não, o Second Life foi tema de debates acalorados em 2007. Por trás desse mundo virtual está o californiano Philip Rosedale, presidente da Linden Lab e criador do metaverso. Em entrevista exclusiva ao Link, Rosedale diz quais serão os principais desafios que o SL enfrentará daqui para frente e comenta como será a internet no futuro: "Os mundos virtuais podem ser o próximo passo na evolução da internet". Leia os principais trechos: Quais são os principais desafios que o SL enfrentará no futuro? Como os mundos virtuais crescem internacionalmente, provavelmente o mercado encontrará desafios certos em relação a conteúdo gerado por usuários e sua regulamentação, como temos visto na internet. Nós vimos o início deles em 2007, mas esperamos vê-los mais em 2008. Como líder nessa área, o SL tem o privilégio e o desafio de encarar essas questões com grande preocupação, e nós estamos entusiasmados para seguir adiante nessas áreas emergentes neste novo ano. Você acredita que o futuro da internet serão os mundos virtuais? Sim. Nós acreditamos que os mundos virtuais podem ser o próximo passo na evolução da internet, onde as pessoas criam e interagem com o conteúdo e entre si em um ambiente em três dimensões (3D). O potencial para a interação, a educação, o comércio eletrônico e o entretenimento em um ambiente 3D é muito maior do que a experiência bidimensional proporcionada pela internet. A manutenção da presença virtual (avatar) se tornará tão onipresente quanto os números de telefone celular e os endereços de e-mail são hoje. O Gartner, empresa norte-americana especializada em pesquisa e análise, estima que 80% dos usuários ativos da internet terão uma presença virtual em 2011. Acreditamos que as plataformas dedicadas ao provimento de uma experiência mais aberta ao usuário serão as mais requisitadas e as que abrirão o caminho nesse espaço emergente. Mas nós também acreditamos que as plataformas abertas serão mais bem-sucedidas, como as que temos visto muito na internet. Que medidas a Linden Lab tomará para segurar os novos residentes e transformá-los em usuários regulares do SL? Deixar que os residentes desenvolvam seus próprios projetos por meio dos recursos de código aberto do grid do SL nos permite aproveitar a rica comunidade de inteligentes e criativos entusiastas do SL, empresários e desenvolvedores que existem pelo mundo. Principalmente, porque quanto mais pessoas escolherem estar no metaverso, mais oportunidades serão criadas para novos residentes. Achamos que os residentes reconhecem isso e que ajudarão na crescente variedade de presenças intramundo. L.P. e M.A.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.