Enviado da ONU pede para adiar fim da trégua no Iêmen

O enviado da ONU para o Iêmen fez um apelo neste domingo para que a coalizão militar liderada pelo Arábia Saudita e seus adversários prorroguem a trégua, que se encerra às 17h (hora de Brasília) deste domingo, para permitir a entrega de ajuda humanitária aos iemenitas.

ANGUS MCDOWALL, REUTERS

17 Maio 2015 | 12h32

O diplomata da Mauritânia Ismail Ould Cheikh Ahmed fez o apelo na abertura de uma conferência sobre o Iêmen, realizada na capital saudita de Riad para discutir formas de colocar fim ao impasse político no país empobrecido da Península Arábica.

Desde terça-feira a coalizão de forças liderada pela Arábia Saudita e militantes houthis do Iêmen mantêm o cessar-fogo destinado a permitir a entrega de alimentos, combustível e medicamentos para milhões de iemenitas que estão confinados e ameaçados pelo conflito desde que a aliança começou o bombardeio aéreo no dia 26 de março.

Grupos de ajuda humanitária afirmaram que os cinco dias de trégua foram insuficientes para permitir a entrega de suprimentos à população.

O país empobrecido, de 25 milhões de habitantes, vive uma tragédia humanitária. Cerca de 300.000 pessoas tiveram que deixar suas casas devido ao conflito e 12 milhões estão sem alimentos.

Mais conteúdo sobre:
IEMEN APELO ONU TREGUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.