Envolvido em venda de habeas corpus é preso em MG

A venda de habeas corpus levou a Polícia Federal (PF) a prender hoje cinco pessoas em municípios mineiros, incluindo um desembargador do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG), e duas em Ribeirão Preto (SP). Segundo a PF, as liminares judiciais eram vendidas por valores que variavam entre R$ 120 mil e R$ 180 mil e teriam beneficiado pelo menos cinco traficantes.

MARCELO PORTELA, Agência Estado

30 Junho 2011 | 18h09

Agentes envolvidos na operação Jus Postulandi também executaram 14 mandados de busca e apreensão em Minas, São Paulo e na cidade de Pontes e Lacerda, em Mato Grosso. Pelo menos quatro traficantes teriam sido beneficiados pelo esquema. A PF não confirma oficialmente os nomes dos acusados, mas o desembargador Hélcio Valentim de Andrade Filho tem sido acusado de ser o responsável pela venda das decisões.

O magistrado, alvo de mandado de prisão temporária de cinco dias, foi levado para prestar depoimento no Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília. Por meio de sua assessoria, o TJ-MG alegou que não havia sido notificado da prisão nem da operação e que não iria se pronunciar sobre o caso.

Mais conteúdo sobre:
venda habeas corpus investigação

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.