Envolvidos na morte de Santiago são 'mimados', diz Paes

Em discurso nesta terça-feira, 11, durante evento em Realengo, na zona oeste do Rio, o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), chamou de "filhinhos de papai mimados" os rapazes envolvidos na explosão do rojão que matou o cinegrafista Santiago Andrade.

FÁBIO GRELLET, Agência Estado

11 de fevereiro de 2014 | 20h53

Ao criticar a violência nas manifestações, o prefeito afirmou que "desta vez foi um bando de filhos de papai mimados" que destruiu a vida de uma pessoa. "Eles precisam ficar na cadeia por muito tempo. Precisamos é de menos impunidade no Brasil e no Rio de Janeiro. Protesto faz parte, o que não pode acontecer é sair na rua tirando seus recalques, atacando os outros com violência", disse Paes.

Um dos suspeitos apontados pela polícia como responsáveis pela explosão mora em Nilópolis, na Baixada Fluminense, e trabalha como auxiliar de limpeza em um hospital estadual. Outro é tatuador e mora no Méier, na zona norte do Rio.

Tudo o que sabemos sobre:
PROTESTORIOCINEGRAFISTAPAES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.