Epidemia de dengue atinge 4 municípios da Baixada Santista

Epidemia de dengue atinge 4 municípios da Baixada Santista

Cubatão e São Vicente se unem a Guarujá e Santos; número de casos também cresceu no Distrito Federal

Zuleide de Barros / SANTOS, O Estadao de S.Paulo

26 de março de 2010 | 00h00

Depois de Guarujá e Santos, outros dois municípios da Baixada Santista declaram epidemia de dengue. Ontem foi a vez de São Vicente admitir o quadro, após registrar, apenas em 2010, 1.844 casos da doença e outros 252 suspeitos, com 7 mortes, 1 delas pelo tipo hemorrágico. Cubatão, com 189 casos confirmados e 456 pacientes suspeitos, tomou a mesma decisão anteontem.

Nas nove cidades da região metropolitana da Baixada, os casos aumentam dia a dia, apesar dos esforços dos agentes de saúde, que rastreiam as casas a fim de orientar a população para eliminar os criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença. Em todos os prontos-socorros, públicos e privados, há filas de pessoas com sintomas compatíveis com a dengue, reclamando da demora no atendimento. A Unimed santista cancelou todas as cirurgias que não forem consideradas de emergência.

Outras regiões. O número de casos também aumenta muito no Distrito Federal, onde 2.117 infecções foram confirmadas até terça-feira. Em Brasília, o escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) teve de suspender o expediente ontem por causa da dengue.

Seis dos 20 funcionários apresentaram sintomas e 3 tiveram a infecção confirmada. Focos do mosquito foram encontrados no jardim da luxuosa casa com piscina que abriga o órgão.

Em Mato Grosso, a Secretaria de Saúde registrou em março 9.782 casos, dos quais 358 são considerados graves. Foram 10 mortes, 6 confirmadas como dengue e 4 sob investigação. No ano, o total chega a 27.958 casos, com 31 mortes (19 confirmadas por dengue).

Em Minas, a capital Belo Horizonte confirmou ontem o registro da primeira morte do ano por dengue hemorrágica. / COLABORARAM LÍGIA FORMENTI, VENILSON FERREIRA e SOLANGE SPIGLIATTI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.