Equatorianos elegem Assembléia Constituinte

Legislativo de 130 integrantes poderá alterar radicalmente a forma como país é governado.

BBC Brasil, BBC

01 de outubro de 2007 | 15h38

Mais de nove milhões de eleitores compareceram às urnas neste domingo no Equador para escolher os integrantes da nova Assembléia Constituinte, que poderá alterar radicalmente a forma como o país é governado.O presidente Rafael Correa quer que a Assembléia, que terá 130 integrantes, dissolva o Congresso e reduza os poderes dos partidos tradicionais.Ao assumir o cargo em janeiro, Correa afirmou que a Constituinte devolverá o poder ao povo, depois de anos de governos corruptos e incompetentes.Mas grupos de oposição dizem que a iniciativa só vai concentrar mais poder nas mãos do presidente, e que Correa deseja transformar o país em um Estado socialista.Em discurso transmitido no início da votação, Correa pediu um mandato forte. "Deixe de lado o ódio e o rancor e participe da construção de um novo país", afirmou.Mas o correspondente da BBC na América do Sul, Daniel Schweimler, disse que com mais de 3,2 mil candidatos e um sistema de votação complexo, muitos eleitores ficaram indecisos ou confusos.A Constituinte deverá ser empossada no final de outubro, na cidade de Montecristi, onde estão sendo construídas instalações para abrigar seus integrantes.Montecristi é a terra natal do General Eloy Alfaro, figura central da revolução liberal que dominou a política do Equador entre 1885 e 1911. Alfaro promoveu transformações importantes na vida do país, como o desenvolvimento da infraestrutura e do sistema educacional, e definiu a separação entre Igreja e Estado.Alfaro é tido como um herói nacional no Equador.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.