Equipamento transforma lixo hospitalar em comum

Um equipamento que promete transformar o lixo hospitalar em lixo comum, com benefícios ambientais e financeiros, foi apresentado ontem em Curitiba. Desenvolvido por uma empresa italiana, o Newster 10 tritura e esteriliza os materiais, reduzindo-os a uma espécie de serragem que pode ser colocada em aterros ou incinerada.

EVANDRO FADEL, O Estado de S.Paulo

12 de fevereiro de 2011 | 00h00

"Vem resolver um grande problema nosso", afirmou o diretor-presidente do Hospital Instituto de Medicina e Cirurgia do Paraná, José Lazarotto de Melo e Souza, onde o primeiro aparelho foi instalado. De pequeno porte, o hospital produz cerca de 8 mil quilos de lixo por mês.

Segundo o diretor comercial da Newster, Luciano Orlandi, a máquina é resultado de dez anos de estudos. No Paraná, onde a distribuidora Traadex conseguiu todas as licenças necessárias, a estimativa é de que cada aparelho custe cerca de

220 mil, incluída a manutenção por dois anos.

O processo dura 30 minutos e o material tem redução de cerca de 70% no volume e de 30% no peso. A máquina tem capacidade de processar 30 quilos de lixo por hora.

A Rússia é hoje o principal mercado, com 120 máquinas, particularmente em razão de casos de tuberculose.

O esterilizador possui um rotor equipado com lâminas que desintegram e aquecem os resíduos por meio de impactos e atritos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.