Equipamentos de ajuda humanitária ao Nepal se acumulam na alfândega

Representante da ONU critica sistema de alfândega em tempos de socorro às vítimas de terremoto

Reuters

02 Maio 2015 | 09h46

Equipamentos de ajuda humanitária aos sobreviventes do devastador terremoto no Nepal encontravam-se retidos no único aeroporto internacional do país, devido a gargalos do controle aduaneiro, informou a ONU neste sábado, quando o número de mortos no desastre superava 6.600 pessoas.

O Nepal suspendeu tarifas para a entrada de lonas e tendas de campanha na sexta-feira, mas o representante da ONU Jamie McGoldrick disse à Reuters que o governo deveria afrouxar mais as restrições alfandegárias para aumentar o fluxo de materiais de emergência.

"Eles não deveriam usar metodologia de alfândega de tempos de paz", afirmou.

O material fica retido no aeroporto de Kathmandu, em vez de chegar às vítimas, disse McGoldrick.

Não houve resposta imediata do governo, mas o ministro Ram Sharan Mahat Finanças tinha feito um chamado a doadores internacionais na sexta-feira para o envio de tendas de campanha, lonas e alimentos básicos, dizendo que alguns itens recebidos não tiveram uso.

"Recebemos coisas como atum e maionese. De que servem essas coisas para nós? Precisamos de arroz e cereais, sal e açúcar", disse ele a repórteres.

Aeronaves e militares dos EUA eram esperados em Kathmandu no sábado para ajudar com as operações de socorro.

(Por Frank Jack Daniel e Andrew R. C. Marshall)

Mais conteúdo sobre:
NEPAL TERREMOTO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.