Equipe britânica cria máquina que imita o estômago humano

Cientistas britânicos criaram o que afirmam ser o primeiro estômago artificial do mundo: uma caixa brilhante que simula a digestão humana. Construída de plásticos e metais capazes de resistir aos ácidos e enzimas encontrados nas vísceras do ser humano, o dispositivo poderá levar à criação de supernutrientes, alimentos capazes de criar a sensação de saciedade sem realmente fornecer calorias para o corpo."Já houve diversas simulações da digesta em potes de geléia", disse o pesquisador Martin Wickham, do Instituto Norwich de Pesquisa Alimentar e principal projetista do estômago artificial, referindo-se aos tubos de ensaio cheios de enzimas, geralmente usados para criar uma aproximação das reações químicas em andamento nas entranhas. O estômago artificial (patenteado) de Wickham é um modelo em duas partes, e um pouco maior que um computador de mesa. A metade superior é um cilindro com um funil, no qual se derrama comida e onde se misturam o alimento, o ácido e as enzimas. Uma vez que esse processo tenha terminado, a comida passa a ser esmagada num tubo prateado de metal. No estômago verdadeiro, o produto desses processos seria, então, absorvido pelo corpo.Software delimita os parâmetros do estômago artificial - quanto tempo a comida deve ficar em cada câmara, respostas hormonais, se o estômago é de um adulto ou criança.A máquina já atrai interesse comercial. Uma empresa quer saber se um biscoito é capaz de liberar um certo nutriente no intestino delgado. Outro grupo deseja determinar se sujeiras do solo, que crianças às vezes engolem, acabam assimiladas pelo corpo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.