Equipe de saúde busca reduzir falta de professor em SP

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) lançou na manhã de hoje o programa "SP Educação com Saúde", iniciativa que oferece assistência médica preventiva aos 65 mil servidores da rede estadual de ensino.

GUSTAVO URIBE, Agência Estado

15 de fevereiro de 2011 | 17h21

Ao lado do secretário de Educação, Herman Voorwald, o governador anunciou investimento de R$ 27 milhões na criação de equipes de saúde, formadas por médicos, psicólogos, enfermeiros e nutricionistas, que atenderão os servidores nas escolas e nas diretorias de ensino de maneira a prevenir doenças e diminuir a ausências de professores nas salas de aula por motivos médicos.

Os recursos serão destinados a convênio com a Casa de Saúde Santa Marcelina, que irá executar o programa em parceria com o Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (Iamspe). Num primeiro momento, o programa será aplicado apenas na capital paulista para servidores de 1.058 escolas da rede estadual de ensino. De acordo com o governador, ainda não há data para que ele seja levado ao interior de São Paulo.

Os primeiros atendimentos aos servidores estão previstos para o segundo semestre. O secretário de Gestão Pública, Julio Semeghini, presente ao evento, indicou que o programa poderá ser levado também aos servidores que atuam em penitenciárias do Estado.

O governador firmou ainda 488 convênios no valor total de R$ 5 milhões com prefeituras do Estado de São Paulo. O montante será usado no repasse a 407 municípios do material didático utilizado na rede estadual de ensino, por meio dos programas "Ler e Escrever" e "São Paulo faz Escola".

O material será entregue aos municípios que manifestaram interesse pelo conteúdo, que já foi distribuído às escolas estaduais na quinta-feira, 10, no primeiro dia do ano letivo de 2011. O governador destacou que, ante 2010, houve um aumento de 20% no número de municípios que recebem o material didático estadual.

Tudo o que sabemos sobre:
educaçãosaúdeprofessor

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.