Ernesto se transforma no primeiro furacão da temporada atlântica

A tempestade tropical Ernesto setransformou neste domingo no primeiro furacão da temporada atlântica, aoaumentar notavelmente a força de seus ventos nas últimas horas pertodo litoral do Haiti. Um boletim especial emitido às 5h04 (6h04 de Brasília) peloCentro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC) informou que aquinta tempestade tropical da temporada, que começou no dia 1º dejunho e termina no dia 30 de novembro, transformou-se num furacão decategoria 1 na escala Saffir-Simpson, que vai até 5. Os ventos sustentados máximos do Ernesto, registrados por umavião que busca furacões, eram superiores a 120 km/h no momento daanálise. Minutos antes, o NHC, com sede em Miami, emitiu seu boletim das5h (6h de Brasília) informando que a ainda tempestade tropical tinharegistrado ventos de 110 km/h, enquanto no boletim anterior osventos eram de 95 km/h, o que mostra o notável aumento da velocidadeapós a ter se "alimentado" das águas quentes do Caribe no sul doHaiti. Às 5h (6h de Brasília), Ernesto estava 195 quilômetros aosu-sudoeste de Porto Príncipe e 410 quilômetros entre o e o sudestede Kingston, nas coordenadas 17 graus Norte e 73,1 Oeste. As previsões apontam que o Ernesto se fortalecerá nas próximashoras e, inclusive, pode se transformar em um furacão de categoria 2antes de tocar a costa cubana, o está previsto para acontecerAmanhã. O NHC emitiu um aviso do furacão (que anuncia sua passagem dentrodas próximas 24 horas) para a costa sul do Haiti até a fronteira coma República Dominicana. O centro também emitiu um aviso de tempestade tropical para acosta sul da República Dominicana - de Barahona até a fronteira como Haiti - e para a Jamaica. A chamada vigilância de furacão (devido à passagem do fenômenonatural dentro das próximas 36 horas) continua vigente para as ilhasCayman e para as províncias orientais cubanas de Tunas, Granma,Holguín, Santiago de Cuba e Guantánamo. O Ernesto, que se formou na sexta-feira no mar do Caribe,movimenta-se na direção entre o oeste e o noroeste a uma velocidadede translação de 15 km/h, trajetória que deve se manter nas próximas24 horas e, por isso, espera-se que seu olho passe pelo extremosudoeste do Haiti na tarde de hoje. O NHC também chama a atenção para o curso do Ernesto em todo onoroeste do Caribe e no nordeste do Golfo do México - especialmenteem Cuba -, no nordeste da península de Yucatán, no México, e nasilhas da Flórida, nos EUA. A Jamaica está desde sábado sob vigilância de tempestade,enquanto em Cuba foi decretada a fase informativa - o primeiro dosestágios de alerta de furacão - para as províncias de Cienfuegos,Matanzas, Havana, Cidade de Havana, Pinar del Río e para o municípioespecial de Isla de la Juventud. O Governo haitiano decretou vigilância de tempestade tropical dooeste da fronteira com a República Dominicana até o sudoeste doPaís. Segundo os modelos informáticos do NHC, a tempestade poderiacomeçar a castigar o oeste de Cuba na segunda-feira e, depois,atingir o sudeste dos EUA, especialmente a Flórida, no final dasemana, quando será o primeiro aniversário da tragédia causada pelofuracão Katrina em Nova Orleans, Louisiana. O Ernesto se formou exatamente um ano depois da formação doKatrina, que atingiu primeiro o sul do estado da Flórida e, depois,destruiu a costa do Golfo do México, onde se transformou em umciclone com ventos de mais de 209 km/h. Por sua vez, a tempestade tropical Debby se transformou apenas emdepressão tropical ao perder força nas águas frias do centro doAtlântico e hoje deve deixar de ser um fenômeno tropical. Nesta temporada, foram registrados apenas um furacão e cincotempestades tropicais, incluindo o Ernesto. As previsões, noentanto, eram de uma temporada "mais ativa" que o normal. A Administração Nacional de Oceanos e da Atmosfera dos EUA (Noaa)previu uma média de 11 a 15 tempestades tropicais e entre sete enove ciclones, dos quais três poderiam ser "intensos". No ano passado, foi registrada uma temporada recorde, com aFormação de 28 tempestades tropicais e 15 furacões, dos quais seteatingiram as categorias 3, 4 e 5 na escala Saffir-Simpson.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.