Erradicação da pobreza deve estar na Rio+20

Questão é considerada como absolutamente ligada ao desenvolvimento sustentável

João Naves de Oliveira, especial para O Estado de S.Paulo

11 Abril 2012 | 03h07

TRÊS LAGOAS - O desenvolvimento sustentável acabou sendo admitido como uma questão ligada "como siameses" à erradicação da pobreza no Brasil, por integrantes da chamada economia verde. São representantes dos setores de papel, celulose, carvão vegetal, madeira e outros produtos, que dependem das florestas para a sustentação dos seus negócios, e membros da Câmara Setorial de Florestas Plantadas.

Eles estiveram reunidos ontem em Três Lagoas, na região leste de Mato Grosso do Sul e a 360 quilômetros da capital do Estado, Campo Grande, para discutir a Rio+20, evento sobre desenvolvimento sustentável da Organização das Nações Unidas que ocorre em junho, no Rio de Janeiro.

Nas discussões estava envolvido o grupo de trabalho coordenador e articulador das ações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimentos (Mapa) e ligado à Secretaria de Desenvolvimento e Cooperativismo (SDC).

Foi proposto à Câmara Setorial a "eliminação do viés desenvolvimento sustentável, no trato da questão de erradicação da pobreza", conforme explicou Kleber Souza dos Santos, representante da Rio+20 no evento ocorrido ontem.

"Os indicadores de sustentabilidade precisam ser de acordo com a característica de cada país. Isso ficou bem claro na reunião e os membros da câmara setorial concordaram. No caso brasileiro, por exemplo, o lado ambiental não poderá ser tratado sem estar com a erradicação da pobreza". Ainda conforme Kleber, o assunto percorre por vários pontos de análise para se chegar a uma ideia de como a economia verde será tratada no contexto da Rio+20.

As discussões serão analisadas pelos integrantes da câmara setorial e entregues ao Mapa, para o encaminhamento das questões levantadas na área, até a Rio+20.

Antes disso, no próximo dia 20, haverá reunião na sede do Mapa em Brasília, também sobre a conferência internacional de desenvolvimento. Todos os pontos discutidos em Três Lagoas servirão de base para o encontro marcado para a próxima semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.