Erro sobre dívida de SP comprometeu 'década', diz Haddad

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), voltou a criticar nesta manhã o indexador da dívida paulistana com o governo federal e disse que pretende resolver o impasse até junho. "Um erro comprometeu uma década de investimento. São esses pequenos erros que estamos tentando equacionar até junho deste ano", disse o prefeito, durante evento organizado pelo Grupo de Líderes Empresariais (Lide), em São Paulo.

BEATRIZ BULLA, Agência Estado

23 de abril de 2013 | 11h25

"Bastava ter colocado a Selic como teto para nossa dívida hoje ser de R$ 29 bilhões e não de R$ 52 bilhões. Significaria que nosso comprometimento já teria caído abaixo dos 13% (da receita líquida) e além disso teríamos espaço para tomar crédito adicional", disse Haddad. Atualmente, a dívida municipal é indexada pelo IGP-DI mais 9% ao ano.

O prefeito reiterou que a presidente Dilma Rousseff já enviou ao Congresso projeto de lei para rever o indexador. "Deve estender também o plano de ajuste fiscal dos Estados para as capitais, o que nos vai abrir linhas de financiamento novas", completou Haddad.

Ele fez questão de frisar que a proximidade não é só com o governo federal, mas também com o estadual. "Nós estamos procurando ter um melhor relacionamento (com o governo do Estado) para demonstrar que o que virá para São Paulo é de São Paulo. Ninguém está pedindo favor para o governo federal nem para o governo estadual", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
Haddaddívidaindexador

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.