Erupções antigas do Vesúvio revelam perigo para Nápoles

Fazendeiros da idade do bronze, fugindo de uma forte erupção vulcânica, abandonaram suas casas do que hoje é a cidade italiana de Nápoles, deixando comida e utensílios de cozinha nas mesas enquanto escapavam. Outros ficaram presos e morreram e seus corpos ficaram como um aviso de que a cidade moderna precisa considerar a ameaça do Monte Vesúvio em seus planos para o futuro, disse Michael Sheridan, professor de geologia na Universidade Estadual de Nova York. "Cenas do dia-a-dia, congeladas pelos depósitos vulcânicos testemunham que as pessoas foram embora de repente", disse Sheridan na edição online desta segunda-feira da Proceedings of the National Academy of Sciences.A erupção ocorreu há cerca de 3.780 anos. Os restos têm sido estudados nos últimos dois anos por arqueólogos de vários países. A erupção foi muito maior do que aquela em 79 a.C. que queimou as cidades próximas à montanha, produzindo os famosos sítios arqueológicos em Pompéia, Herculano e Estábias, disse Sheridan. O professor afirmou que uma futura erupção deve fornecer avisos prévios consideráveis em forma de terremotos e alertou que essa possibilidade seja incluída no planejamento de perigo de Nápoles.

Agencia Estado,

06 de março de 2006 | 19h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.