Escola estadual joga livros no lixo em Bauru

Entre as obras havia clássicos da literatura; direção não se manifesta

José Maria Tomazela, SOROCABA, O Estadao de S.Paulo

11 Dezembro 2009 | 00h00

Centenas de livros, entre eles clássicos da literatura, estavam sendo jogados no lixo por funcionários da Escola Estadual Ernesto Monte, anteontem, em Bauru. Parte dos exemplares foi amontoada na sarjeta da calçada, na Praça das Cerejeiras. Alguns, parcialmente queimados, tinham sido lançados numa caçamba de entulho. O fotógrafo João Alcará, de 49 anos, que passava pelo local, fez fotos do que considerava "um descaso com a cultura" e interpelou os funcionários.

Segundo Alcará, ele perguntou aos funcionários se havia mais livros. Eles contaram que o restante estava em outro portão. "Encontrei outros dez sacos de lixo cheios. Calculo que havia uns 500 livros." Ao verem que ele fazia fotos, os funcionários tentaram arrastar os sacos para o interior da escola. Alcará apanhou alguns exemplares, entre eles A Escola dos Robinsons, de Júlio Verne. Um manuscrito na capa indica que a obra tinha sido ofertada à escola, em 1939.

Ontem, Alcará foi ameaçado por uma pessoa que se identificou como mãe de aluno. Procurada, a direção da escola informou que só a Secretaria de Estado da Educação poderia se manifestar. Em nota, a secretaria diz ter determinado à Diretoria Regional de Ensino de Bauru que faça apuração preliminar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.