Escola popular do Rio dá início ao ano letivo

A Escola Popular de Comunicação Crítica (Espocc), criada em 2005 pelo Observatório de Favelas no Complexo da Maré, na zona norte do Rio de Janeiro, inicia nesta terça-feira (20) o ano letivo de 2012 com uma aula inaugural ministrada pela gerente de patrocínio da Petrobras, Eliane Costa. O tema será "A Cultura e as redes". Eliane trabalha na petrolífera desde 1975 e já atuou em Tecnologia da Informação, na Universidade Petrobras e em Comunicação Institucional. Hoje é responsável pela gestão da política cultural e pelo edital do Programa Petrobrás Cultural.

FÁBIO GRELLET, Agência Estado

20 Março 2012 | 07h24

O curso da Escola Popular atende 90 alunos aprovados numa pré-seleção. Todos cursam ou já concluíram o Ensino Médio e pelo menos dois terços são moradores de favelas ou periferias do Rio. O curso tem carga horária de 432 horas, dura um ano e rende um diploma de extensão concedido pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Considerada uma das mais tradicionais escolas de comunicação popular do Brasil, a unidade de ensino planeja neste ano especializar os alunos em Publicidade Afirmativa, que não visa lucro ou promoção de uma marca com fins estritamente comerciais, mas sim promoção de valores de sociabilidade, cultura e empreendedorismo comunitário e socioambiental. A escola pretende formar profissionais de propaganda e marketing capazes de acessar o mercado de trabalho e desenvolver ideias transformadoras de realidades coletivas.

Mais conteúdo sobre:
educaçãoescola popularRJ

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.