Escolas de SP ficam sem água e energia

Aulas são suspensas em universidade e escola básica que funcionam em terreno do clube Tietê, que fechou as portas

DAVI LIRA, O Estado de S.Paulo

29 de novembro de 2012 | 23h49

A Faculdade Zumbi dos Palmares e a escola de ensino fundamental Tietê Aldo Baroncelli, localizadas no terreno do antigo Clube de Regatas Tietê, no centro de São Paulo, estão sem água e luz elétrica desde anteontem, após o clube encerrar suas atividades e retirar os equipamentos de sua propriedade que centralizavam a distribuição de energia.

Após 105 anos de história, o clube deixou, no início da semana, o terreno de 50 mil m² às margens do Rio Tietê. A Justiça determinou que o clube - cujas dívidas trabalhistas e tributárias chegam a R$ 25 milhões - devolvesse o imóvel à Prefeitura, dona no terreno. "No mandado de reintegração de posse cumprido no dia 26, tudo o que era de propriedade do clube teve de ser retirado. Chegamos a oferecer a compra dos equipamentos elétricos e hidráulicos à faculdade, mas não aceitaram", diz Caio Marcelo Dias, advogado do Regatas. O clube alega que a faculdade lhe deve R$ 2,3 milhões e a escola teria cerca de R$ 1 milhão em dívidas.

"Não procede que devemos ao clube. É por isso que nos surpreendeu esse corte. Fomos pegos de surpresa", afirma Míriam Torres, diretora pedagógica da escola Tietê, que atende 170 alunos. Com a situação, as aulas foram suspensas até segunda-feira, quando será instalado um gerador de energia.

A retirada dos equipamentos afetou os mais de 1,7 mil alunos da Faculdade Zumbi dos Palmares, mas a instituição informa que as aulas serão retomadas na próxima semana. Mesmo com a desapropriação, as escolas devem ser mantidas no local pelo menos até o fim de 2013. O antigo clube será transformado em um centro de formação de atletas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.