Escolas no alto do ranking também preparam alunos

Alguns colégios bem posicionados no ranking do Enem organizam cursos e ciclos de palestras sobre o exame para os alunos do ensino médio. O Santo Américo, por exemplo, organiza apostilas especiais e simulados - neles, o aluno pode ganhar bônus nas notas. "Com a preparação, atendemos até os alunos mais fracos, que participam e ganham nota", afirma o coordenador Miguel Arruda.

Mariana Mandelli, O Estado de S.Paulo

06 de setembro de 2010 | 00h00

No Santa Maria, a direção começa a discutir o currículo para se adequar às matrizes do Enem. "Isso é algo complicado, que demanda tempo", explica Silvio Freire, orientador do 3º ano.

Curiosamente, o Vértice, primeiro colocado do ranking, não organiza aulas especiais. "O nível de complexidade do Enem é menor que o dos grandes vestibulares, para os quais preparamos os alunos", diz o diretor Adilson Garcia,

As escolas não negam que a estratégia é uma maneira de se manter no topo da lista. "O principal é prepará-los para um bom desempenho, mas explicamos a eles que isso também dá nome à escola", afirma o diretor do 3º ano do Colégio Stockler, Almir Bunduki. A escola realiza o Projeto Enem, com aulas semanais de 90 minutos.

Para os alunos, as aulas ajudam no aspecto psicológico. "É uma prova muito longa. Tem de preparar o emocional", afirma Juliana Mirkhan, de 17 anos, aluna do Stockler. "A gente ganha mais confiança quando acerta os exercícios durante as aulas", emenda Victor Véras, também de 17, candidato a Medicina.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.