Evelson de Freitas/AE
Evelson de Freitas/AE

Escolas terão cartilha contra preconceito sexual, afirma Marta

A senadora fez a declaração durante o evento para o lançamento da 'Marcha Contra a Homofobia', em SP

Beth Moreira, da Agência Estado,

19 de fevereiro de 2011 | 18h00

SÃO PAULO - A senadora Marta Suplicy (PT-SP) disse que o Ministério da Educação vai preparar cartilhas contra o preconceito em relação à orientação sexual que serão distribuídas nas escolas. A informação foi dada durante evento com a ministra Maria do Rosário (Direitos Humanos) para o lançamento da "Marcha Contra a Homofobia" e do "Disque 100" para a população LGBT, na Casa das Rosas, em São Paulo. A ministra disse que a posição contra o preconceito é um posicionamento do governo Dilma.

 

Veja também:

Aprovar mínimo no Senado será mais fácil, diz senadora

Segundo a senadora, uma pesquisa realizada pela Fipe em 501 escolas públicas de todo o País, baseada em entrevistas com mais de 18,5 mil alunos, pais e mães, diretores, professores e funcionários, revelou que 87,3% das pessoas têm preconceito em relação à orientação sexual. Para ela, o objetivo da cartilha é expandir o conceito de aceitação da diversidade.

"É preocupante o preconceito e a violência. O Brasil retrocedeu em relação dez ou 12 anos." Marta comparou o Brasil à Argentina, dizendo que o país vizinho era mais avesso em relação à aceitação do homossexualismo e hoje legalizou o casamento entre gays. "E nós temos o espancamento de gays", disse, referindo-se a casos recentes de agressões na capital paulista. A senadora se diz confiante na aprovação do PL 122, contra a homofobia.

Selo. No evento de hoje foi lançado também um selo que será fixado em lugares onde ocorrem atos de discriminação. Um desses selos foi fixado hoje na calçada da avenida Paulista em frente ao número 777. No local, cinco jovens espancaram, em novembro do ano passado, um rapaz de 19 anos com uma lâmpada fluorescente. O adesivo, de forma arredondada, tem cerca de um metro de diâmetro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.