Espanha investiga 'leilão' de meninas em festa para adolescentes

Notas de Banco Imobiliário eram usadas para os lances; para advogado, foi apenas brincadeira inofensiva.

BBC Brasil, BBC

08 de maio de 2009 | 07h30

O Ministério Público da Espanha está investigando uma festa organizada por uma discoteca em Granada (sul do país) na qual meninas adolescentes foram "leiloadas" com dinheiro do jogo Banco Imobiliário.

A festa para adolescentes a partir de 12 anos havia sido anunciada pela discoteca Granada 10 com o slogan "Se estiver solteira, leiloe-se. Se estiver solteiro, faça seu lance".

Segundo os organizadores, o grupo de adolescentes subiu ao palco da discoteca voluntariamente para participar do leilão.

Os meninos recebiam, ao chegar à festa, uma certa quantidade de notas de Banco Imobiliário para participar do leilão. Quanto mais cedo chegassem à festa, mais dinheiro recebiam.

Segundo os organizadores, não foram servidas bebidas alcoólicas durante a festa nem era permitido fumar no local.

Denúncia

A organização da festa foi denunciada à Promotoria dos Menores pela prefeitura de Granada.

A secretária de Bem-Estar Social e Igualdade da cidade, Ana López Andújar, afirmou à imprensa espanhola que a discoteca "mostrou uma atitude machista que não deve ser permitida".

Ela disse esperar que uma nova festa para adolescentes marcada para a semana que vem na mesma discoteca, na qual se anunciavam prêmios a meninas vestidas com minissaia, não ocorra.

Em um blog na internet, o juiz de Menores Emilio Calatayud acusou os empresários de privilegiar apenas o interesse econômico e de não cumprirem suas obrigações de proteger os menores.

"Este tipo de história é um atentado contra a dignidade dos menores", afirmou.

O advogado da discoteca, José Luiz López Candal, afirmou ao jornal espanhol ABC estar surpreso com a repercussão provocada pela festa. Segundo ele, o leilão era apenas uma brincadeira inofensiva. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.