Especialistas em ciberterrorismo alertam sobre risco de ataque

Especialistas em ciberterrorismo de vários países disseram nesta quinta-feira, 22, que o risco de um ataque em grande escala por meio das redes de informática é ainda baixo, mas alertaram que está crescendo "de forma espetacular". Dentro da quarta Conferência Mundial sobre Segurança, responsáveis de "cibersegurança" de todo o mundo se reuniram em Bruxelas para analisar a luta contra o que, segundo asseguraram, será a maior ameaça terrorista no futuro. "Um grande ataque eletrônico requer muito tempo, muito dinheiro e muita inteligência, mas estas ferramentas estão cada vez mais acessíveis para os delinqüentes", explicou o coordenador do debate sobre cibersegurança, Ahmet Mücahid Ören. Além disso, assinalou que as conseqüências de um ataque em grande escala por meio das redes de informática são cada vez mais prejudiciais, já que "a sociedade depende em todos os níveis das tecnologias da comunicação". Entre outras recomendações, os especialistas pediram um esforço para encontrar um meio de aumentar o custo para se efetuar um ataque. Como exemplo, consideraram que seria positivo dificultar o spam (mensagens eletrônicas indesejadas) fazendo com que quem deseje enviar grandes quantidades de mensagens tenha que pagar um preço pelo serviço. Além disso, pediram "mais responsabilidade" dos fabricantes de hardware e software, e consideraram "fundamental" transferir para a sociedade a mensagem que a luta contra o ciberterrorismo é um alvo factível. Ören lembrou que hoje "todo mundo está interconectado", por isso é necessário que todas as partes estejam conscientes dos perigos.

Agencia Estado,

22 Fevereiro 2007 | 14h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.