Especialização em mais de uma área é motivo para ficar

A fuga do compromisso afeta não apenas a dinâmica familiar e amorosa, mas também a profissional, afirma a psicóloga Célia Regina Henriques. "Por isso o trabalho freelancer se torna tão frequente entre os jovens. A ideia de fazer carreira em uma grande empresa, típica da geração anterior, não existe mais", diz.

, O Estado de S.Paulo

18 Abril 2010 | 00h00

A troca frequente de emprego, por necessidade ou desejo, exige múltiplos conhecimentos. E a segurança financeira que a casa materna oferece permite ao jovem correr atrás da capacitação.

Formada em Jornalismo e Gastronomia, Gabriela Sampaio, de 32 anos, morou com a mãe até os 29 para custear a segunda faculdade. Nesse meio tempo, ela trabalhou em assessoria de imprensa, cozinha de restaurante e hoje desenvolve conteúdos para sites de internet.

Marion Hesser, de 26 anos, iniciou três graduações. Ciências Sociais, ela abandonou; Relações Internacionais, concluiu; e hoje cursa Filosofia. Passou pelo mercado financeiro, fez trabalhos como atriz e escreveu para revistas. Agora trabalha com relações internacionais, mas revela o desejo de ser produtora cultural.

"Hoje deixei de sofrer por não ter um foco e passei a valorizar o fato de que eu tenho múltiplos interesses. A médio prazo isso me capacita." Enquanto isso, a casa, a comida e a roupa lavada estão garantidas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.