Espera por bagagens revolta passageiros em Guarulhos

A viagem de volta do Reveillón durou mais do que muita gente esperou. Passageiros de voos da Gol que desembarcaram no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, relataram que enfrentaram demora e desorganização na hora de pegar as bagagens na quarta-feira,1.

ARTUR RODRIGUES, Agência Estado

02 de janeiro de 2014 | 18h13

"Tinha passageiro falando em espera de duas horas para pegar as malas. A minha demorou pouco mais de uma hora para aparecer. Apareceu numa esteira que não estava programada", relatou a jornalista Carla Castellotti, de 27 anos, que chegou na noite de quarta-feira, vindo de Maceió (AL). "Uma funcionária da Gol afirmou que 40% dos trabalhadores terceirizados do aeroporto não vieram trabalhar", afirmou.

Questionada sobre a demora, a Gol admitiu o problema. A companhia afirmou que a falha, de fato, foi relacionada à empresa terceirizada que cuida das bagagens, a Swissport.

Questionada sobre o assunto, a empresa indicou a Associação das Empresas de Serviço Auxiliar de Transporte Aéreo (Abesata) para se pronunciar. O presidente da entidade, Ricardo Aparecido Miguel, afirmou que o problema pode estar relacionado a uma greve da categoria no Aeroporto do Galeão, no Rio. "Houve deslocamento de funcionários de Guarulhos, Campinas e Vitória para o Galeão", afirmou.

Os passageiros usaram as redes sociais para descarregar a indignação. "A duração do Voo 9224 , de Salvador a Guarulhos: 2 horas e 6 minutos. Tempo de espera da bagagem até agora: 1 hora. Metade da viagem", escreveu o contador Humberto Almeida, de 40 anos, em seu perfil do Twitter. "No final, as malas ainda chegaram molhadas", disse ao Estado.

No YouTube, foi postado vídeo que mostra passageiros discutindo com funcionários do aeroporto por causa da demora na entrega das malas. Nas imagens, há uma mulher passando mal no chão e outros passageiros reclamam por querer deixar a área restrita para bagagens com o objetivo de comer e fumar.

Mais conteúdo sobre:
AeroportoGuarulhosbagagens

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.