Esquema de proteção dos EUA pode afetar comunicação global

Um sistema proposto pelos Estados Unidos para proteger satélites de tempestades solares e de detonações nucleares de grande altitude pode ter efeitos colaterais que levarão a blecautes na comunicação de rádio, de acordo com uma nova pesquisa. Se ativado o sistema de "reparo do cinturão de radiação" (RBR) poderá alterar de forma significativa a alta atmosfera, interrompendo as ondas de rádio de alta freqüência (HF) e a navegação via GPS.O sistema de reparo tem como objetivo proteger centenas de satélites de baixa altitude contra um excesso de partículas carregadas no cinturão de Van Allen. A intensidade do cinturão pode ser "anabolizada" momentaneamente por explosões nucleares de grande altitude ou por poderosas tempestades do Sol.A abordagem, desenvolvida pela Força Aérea americana e pela Agência de Projetos Avançados de Defesa (Darpa) envolve a geração de ondas de rádio de freqüência muito baixa, para expulsar as partículas dos cinturões de radiação e jogá-las para a alta atmosfera. Uma equipe que reúne cientistas da Nova Zelândia, Reino Unido e Finlândia calcula que a alta atmosfera poderá ser dramaticamente afetada por esse sistema, causando blecautes de HF por todo o mundo. Segundo Mark Clilverd, da Pesquisa Antártica Britânica, "alguns barcos e aviões dependem de comunicações de HF e poderiam perder contato de rádio. Comunidades remotas que também contam com HF poderão ficar isoladas por até sete dias. Sinais de GPS entre usuários no solo e satélites seriam interrompidos ao passar pela ionosfera alterada".A alteração ocorreria com a transformação da ionosfera, de um "espelho" que reflete ondas de rádio de volta para a Terra, numa "esponja", que as absorverá.

Agencia Estado,

14 de agosto de 2006 | 14h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.