Divulgação
Divulgação

Estação de reciclagem utiliza água de reúso

Com tecnologia inovadora, Israel dribla falta de espaço para armazenar lixo

Simone Iwasso, O Estado de S.Paulo

07 de setembro de 2011 | 00h00

ENVIADA ESPECIAL

TEL-AVIV (ISRAEL)

A falta de espaço para armazenar o lixo e o pouco envolvimento da população no sistema de coleta seletiva levaram uma empresa israelense a desenvolver uma estação alternativa de reciclagem, que usa água de reúso para separar os materiais. O projeto, bem-sucedido, se transformou hoje na maior estação de tratamento de lixo de Israel.

A tecnologia foi desenvolvida com base em um conceito simples: cada tipo de objeto tem uma densidade e, portanto, se comporta de maneira diferente quando imerso na água. Com a ajuda da gravidade, papel, plástico, tecido, madeira, restos orgânicos e metais se separam, deixam de ser um bolo misto de lixo e boiam em camadas.

Cada material é, então, coletado em esteiras mecanizadas, tratado separadamente e enviado em caminhões para empresas especializadas em reciclagem - algumas compram plástico prensado, outras trabalham com vidro, madeira, ferro e alumínio, entre outros.

O material orgânico, que flutua na superfície da piscina, é depositado em tanques de fermentação. Os resíduos são transformados em adubo para agricultura. E o gás metano que resulta desse acúmulo de material gera eletricidade - parte é usada para manter a estação em funcionamento e o restante acaba sendo vendido para a companhia de energia elétrica local.

Entulho. Além do lixo doméstico, o parque de reciclagem é capaz de receber e tratar também resíduos de construção. Em uma planta, são depositados concreto, pedras e ferro. Nas piscinas de água, ferro e madeira são separados dos outros elementos - o que sobra é esmagado em grandes contêineres e vira areia e cascalho. "Todo o processo da estação de lixo e reciclagem é mecanizado e 90% dos resíduos sólidos são enviados para reciclagem sem separação manual", afirma Yair Zadik, CEO da Arrowecology, empresa responsável pela tecnologia.

Ele explica que o modelo é sustentável e pode ser reproduzido em espaços variados. Até mesmo a água, bastante escassa e valiosa no país, é constantemente reutilizada. "Tratamos a água usada nas piscinas e, por isso, nossa demanda é pequena. Usamos sempre a mesma água", diz.

A estação de Hiriya foi construída em 2004, nos arredores de Tel-Aviv, e recebe diariamente 800 caminhões de lixo com 3 mil toneladas de resíduos sólidos e 1,5 mil toneladas de entulhos de construção e demolição. O parque atende a região de Dan, que inclui Tel-Aviv e outros 18 municípios, num total de 2 milhões de habitantes.

Volume

3 mil toneladas de resíduos sólidos chegam diariamente à estação

1,5 mil toneladas de entulho de construção e demolição também são enviadas diariamente

19 cidades se beneficiam do local

A REPÓRTER VIAJOU A CONVITE DO INSTITUTO DE ISRAEL DE EXPORTAÇÃO E COOPERAÇÃO INTERNACIONAL E DO MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA DE ISRAEL

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.