Estação Espacial Internacional terá comandante mulher

A astronauta americana Peggy Whitson será a primeira mulher a assumir o comado da ISS

Efe,

21 de setembro de 2007 | 14h50

Uma comissão estatal russa seu sua aprovação à próxima tripulação permanente da Estação Espacial Internacional (ISS, sigla em inglês) e ao primeiro astronauta malaio, que a acompanhará no vôo para a plataforma orbital.   A tripulação permanente, que viajará ao espaço na nave Soyuz TMA-11 em 10 de outubro, é integrada pelo cosmonauta russo Yuri Malenchenko e pela astronauta americana Peggy Whitson, segundo o Centro de Treinamento de Cosmonautas Yuri Gagarin.   Na nave Soyuz, Malenchenko será o comandante e Whitson, engenheira de bordo. Uma vez na ISS os papéis serão invertidos: ela se tornará a primeira mulher no comando do laboratório espacial. Junto com Malenchenko e Whitson, que já trabalharam na ISS, viajará ao espaço o primeiro astronauta da Malásia, Mushafar Shukor. Os três foram aprovados nos respectivos exames e provas realizados no Centro Gagarin no dia 23.   Malenchenko e Whitson integram a 16ª missão permanente (ISS-16) juntamente com o astronauta da Nasa Garrett Reisman e o francês Léopold Eyharts, da Agência Espacial Européia (ESA, sigla em inglês), que chegarão mais tarde à plataforma, em uma nave americana.   O cosmonauta malaio permanecerá uma semana a bordo da ISS e voltará à Terra a bordo da nave Soyuz TMA-10, atualmente acoplada à estação, juntamente com os russos Fiodor Yirchikhin e Oleg Kotov, membros da expedição ISS-15, que será encerrada.   Em um encontro com a imprensa na Cidade das Estrelas, nos arredores de Moscou, Malenchenko afirmou que a ISS-16 continuará a montagem da estação e receberá o primeiro cargueiro da Agência Espacial Européia (ESA), a nave ATV (Automated Transfer Vehicle) Jules Verne.   O cosmonauta acrescentou que um grande número de experimentos científicos - 30 só do programa russo - os espera em órbita, por isso não pretendem fazer passeios espaciais durante os seis meses em que ficarão na ISS, mas estão preparados para eles.   O primeiro astronauta malaio revelou que tentará cumprir na ISS o jejum do Ramadã, o mês sagrado dos muçulmanos, graças a um programa especial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.