Estações do metrô de SP vão ganhar 110 lojas até 2013

O metrô de São Paulo deve ganhar 110 lojas até o fim de 2013. Será possível comprar nas estações remédios, pacotes turísticos, perfumes e até vestido de noiva. O número de pontos de venda será mais do que o dobro do registrado hoje. Atualmente, a rede tem 98 lojas, considerando a Linha 4-Amarela, administrada pela iniciativa privada.

TIAGO DANTAS, Agência Estado

30 de agosto de 2012 | 10h22

Os editais que vão permitir a concessão de espaços para interessados em administrar cinco lojas de calçados e de moda praia ou um pacote de cinco empreendimentos que venderão roupas de casamento foram publicados na segunda-feira. Até dezembro, devem ser divulgados editais para mais 28 lojas e um minishopping com 42 pontos de venda.

Os passageiros encontrarão o novo comércio de tênis, sandálias e chinelos nas Estações Ana Rosa, Palmeiras-Barra Funda, Brás, Santana e Sé. "O objetivo é atrair empresas já consolidadas e de grande porte no setor de calçados esportivos e sandálias tipo moda praia", diz a companhia, no texto do edital. O mezanino da Estação São Bento deve receber mais 42 lojas - hoje, só há três funcionando ali. A ideia do Metrô é que o centro comercial seja administrado por um único empreendedor, responsável por escolher os tipos de lojas.

As cinco lojas de noivas também devem ser administradas por um único grupo. A diferença é que ficarão todas no mesmo lugar: a saída da Avenida Prestes Maia, na Estação Luz, próximo da Rua São Caetano, também conhecida como "rua das noivas" por causa da concentração de lojas do ramo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Tudo o que sabemos sobre:
comérciometrôSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.