Estado de Fábio Barreto é grave, 'mas bem controlado'

O neurocirurgião Paulo Niemeyer Filho disse na manhã de hoje que o estado de saúde do cineasta Fábio Barreto continua grave, mas que não houve evolução nos edemas cerebrais. De acordo com o médico, é natural que os edemas aumentem nas primeiras 72 horas, o que, segundo a tomografia realizada hoje às 5h30, não vem ocorrendo com o cineasta. Niemeyer Filho definiu o quadro do cineasta como grave, "mas bem controlado".

FABIANA CIMIERI, Agencia Estado

21 Dezembro 2009 | 10h06

"Na tomografia de ontem, o edema havia aumentado. Na de hoje, vimos que ele já cedeu um pouco, tanto que vai ser possível colocar um cateter", disse o neurocirurgião, que nesta manhã já estava realizando este procedimento. De acordo com ele, a colocação do cateter vai melhorar o controle da pressão intracraniana "o que é decisivo na vida dele e que vai diminuir o risco de sequelas".

Além disso, a equipe médica do hospital vai realizar uma traqueostomia para melhorar a capacidade respiratória do cineasta. Um boletim médico deve ser divulgado às 18 horas.

O cineasta Fábio Barreto sofreu um acidente de trânsito na noite de sábado em Botafogo, na zona sul do Rio de Janeiro, e está internado em coma induzido no Hospital Copa D''Or, em Copacabana. Ele é o diretor do filme "Lula, o Filho do Brasil", com estreia marcada para o dia 1º de janeiro.

Mais conteúdo sobre:
acidente cineasta saúde Fábio Barreto

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.