Estado de São Paulo terá 53 novas unidades da PM

Intenção é aumentar patrulhamento ostensivo no Estado, com mais batalhões e companhias

Josmar Jozino, do Jornal da Tarde,

05 Novembro 2008 | 10h05

A Polícia Militar irá reforçar o patrulhamento ostensivo no Estado a partir do próximo mês. Serão criadas 53 novas unidades, sendo 7 batalhões e 14 companhias na capital; cinco companhias na Grande São Paulo; 15 companhias no interior; além de um batalhão policial rodoviário e 4 companhias rodoviárias; um batalhão de choque e uma companhia de choque, uma companhia de polícia ambiental; dois grupamentos de bombeiros e dois subgrupamentos de bombeiros. Dos sete novos batalhões da capital, um será criado no centro, um na região sudoeste, um na zona norte, dois na zona leste, um na zona oeste e um na zona sul. Nessas áreas também serão instaladas as 14 companhias. O Comando da PM deverá definir nos próximos dias os locais das cinco companhias da Grande São Paulo e 15 do interior e das demais unidades do choque, policiamentos rodoviário e ambiental e bombeiros. Segundo o coronel Roberto Costa, subchefe do Estado Maior da Polícia Militar, a redistribuição do efetivo será feita com base em estudos técnicos iniciados em 2002 e concluídos em 2003. "Fizemos uma radiografia da segurança pública para aprimorar o policiamento comunitário nos 645 municípios. Estamos no caminho certo. Com os trabalhos técnicos e inteligência, vamos colocar estrutura onde precisa, com recursos materiais e humanos", disse o oficial. Costa explicou que para fazer a reestruturação do efetivo os estudos técnicos realizados pela Polícia Militar analisaram três fatores: as populações residentes e flutuantes de cada localidade, o índice de criminalidade das regiões e a peculiaridade local. Com base no primeiro item, a PM decidiu redistribuir o efetivo nas áreas onde a população aumenta por causa de algumas atividades, como a escolar, com estudantes de outras regiões, e trabalho, com possíveis criações de emprego e mão-de-obra externa. As regiões com alto índice de criminalidade também terão o policiamento reestruturado. O terceiro item refere-se à peculiaridade de cada local. O coronel Costa citou como exemplo para possível redistribuição do efetivo e reforço do policiamento regiões onde têm festas, como as cidades de Aparecida, que recebe católicos de vários cantos do País e do mundo, e Barretos, a terra dos rodeios. O coronel acrescentou ainda que a reestruturação do efetivo da PM poderá atingir também regiões que têm presídios e problemas sazonais, como invasões de terra, além das áreas litorâneas, por causa da temporada de verão e a presença de milhares de turistas. "Essas áreas merecem atenção diferenciada. O estudo técnico foi feito justamente para redistribuir o efetivo territorial nessas regiões", ressaltou. O oficial afirmou que a reorganização do efetivo só foi possível graças à criação de 6 mil vagas para soldados temporários, em meados de 2002 e 2003, e a retirada de outros 2.300 policiais militares das muralhas de presídios do Estado. "Os soldados temporários foram contratados para atuar em funções administrativas e substituíram os soldados profissionais, devolvidos para o patrulhamento de rua. Os 2.300 PMs que faziam a guarda das unidades prisionais também reforçaram o policiamento ostensivo", justificou o coronel Costa. A extinção de 766 postos de segundo tenente e a criação de outros 944 postos de oficiais (tenente, capitão, major, tenente-coronel e coronel), cujo projeto de lei foi sancionado no último sábado pelo governador José Serra, também ajudarão a redistribuir o efetivo. "Além disso, a medida propiciará maior fluxo de carreiras e a possibilidade de promoções. A população ganhará com isso", completou Costa. Segundo a Secretaria da Segurança Pública, cada batalhão tem, em média, 700 homens. Atualmente, o Estado de São Paulo dispõe de 25 batalhões e 106 companhias na Capital; 19 batalhões e 58 companhias na Grande São Paulo e 54 batalhões e 183 companhias no interior. OS 7 BATALHÕES DA CAPITAL A PM não divulgou onde serão os sete batalhões da capital, mas definiu suas regiões e deve instalá-los em um dos seguintes bairros: REGIÃO SUDOESTE Americanópolis, Saúde ou Vila Clementino ZONA NORTE Vila Guilherme, Casa Verde ou Limão ZONA LESTE Jardim Robru, São Miguel Paulista ou Itaim Paulista ZONA LESTE Vila Carrão, Penha ou Vila Matilde ZONA OESTE Pirituba ou Perus ZONA SUL Parelheiros, Marsilac ou Jardim Mirna CENTRO Sé ou Brás

Mais conteúdo sobre:
segurança PM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.