Estado de SP reage para conter surto recorde de dengue

Marca de mais de 62 mil casos é atribuída, pela secretaria estadual, à epidemia que atinge Estados vizinhos

03 de setembro de 2007 | 16h35

Com mais de 62 mil casos da doença registrados até agora em 2007, São Paulo enfrenta uma epidemia recorde de dengue. O ano com mais casos registrado anteriormente havia sido 2001, com 51,4 mil ocorrências. Em 2003 esse número havia caído mais de 50%, para 20,2 mil, mas já voltava a superar os 50 mil em 2005.   A Secretaria da Saúde paulista atribui o grande número de casos ao aumento da doença em Estados vizinhos, mais especificamente o Mato Grosso do Sul.   Para enfrentar o problema, a secretaria estadual definiu 78 municípios paulistas que serão incluídos na "Operação Pente Fino" contra a dengue, a partir de setembro.   O objetivo é agir nos próximos três meses, durante o período de "entressafra" do mosquito transmissor, o Aedes aegypti, para evitar que a doença retorne com força no próximo verão.   Profissionais da Sucen (Superintendência de Controle de Endemias) irão concentrar ações nos municípios que formam, atualmente, o epicentro da dengue no Estado.   São cidades que tiveram grande número de casos ou alta incidência de dengue nos últimos três anos. Também serão incluídos municípios que ainda registram transmissão da doença na época de frio, além de locais turísticos, com grande fluxo de pessoas ao longo do ano.   Modelo cubano   A secretaria decidiu adotar o modelo cubano para combater as complicações causadas pela dengue, incluindo a dengue hemorrágica. Profissionais da pasta acabam de voltar de um "estágio" em Cuba.     Serão distribuídos materiais de alerta à população sobre os principais sintomas da doença, informando em que casos é necessário procurar imediatamente um serviço de saúde.   Em municípios com histórico de epidemia, a secretaria pretende auxiliar as prefeituras a reorganizar o atendimento da rede básica, agilizando a identificação dos casos suspeitos de dengue.   Municípios que entrarão na "Operação Pente Fino"   1.     Adamantina   2.     Andradina   3.     Araçatuba   4.     Araraquara   5.     Assis   6.     Barretos   7.     Barueri   8.     Bauru   9.     Bebedouro   10. Bertioga   11. Birigui   12. Botucatu   13. Boituva   14. Buritama   15. Campinas   16. Caraguatatuba   17. Cubatão   18. Diadema   19. Dracena   20. Embu   21. Fartura   22. Guarujá   23. Guarulhos   24. Hortolândia   25. Iepê   26. Igarapava   27. Ilha Solteira   28. Itanhaém   29. Itapevi   30. Itu   31. Ituverava   32. Jandira   33. Jardinópolis   34. Jaú   35. Junqueirópolis   36. Limeira   37. Lins   38. Marília   39. Matão   40. Miguelópolis   41. Mirante do Paranapanema   42. Mirassol   43. Mongaguá   44. Olímpia   45. Osasco   46. Ourinhos   47. Paulínea   48. Penápolis   49. Pereira Barreto   50. Peruíbe   51. Piracicaba   52. Praia Grande   53. Presidente Epitácio   54. Presidente Prudente   55. Presidente Venceslau   56. Rancharia   57. Rosana   58. Rio Claro   59. Ribeirão Preto   60. Salto   61. São José do Rio Preto   62. Santo Anastácio   63. Santos   64. São João do Pau D’Alho   65. São Paulo   66. São Vicente   67. Sorocaba   68. Sumaré   69. Taboão da Serra   70. Taquaritinga   71. Taquarivaí   72. Taubaté   73. Tupã   74. Tupi Paulista   75. Ubatuba   76. Valparaíso   77. Votorantim   78. Votuporanga

Tudo o que sabemos sobre:
denguesão paulopente fino

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.