Estados discutem partilha das águas do Paraíba do Sul

Representantes dos governos de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais reúnem-se nesta quarta-feira, 09, com o presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), Vicente Andreu, em Brasília, para discutir a proposta paulista de utilizar o Rio Paraíba do Sul para abastecimento da Região Metropolitana de São Paulo. A proposta do governador paulista, Geraldo Alckmin (PSDB), prevê a construção de um canal para interligar a represa do Jaguari, abastecida pelo Paraíba, com a de Atibainha, que faz parte do Sistema Cantareira, responsável por fornecer água à Grande São Paulo e que, nesta terça-feira,08, atingiu seu volume mais crítico, de 12,7% da capacidade.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

08 Abril 2014 | 20h44

De acordo com o secretário de Saneamento e Recursos Hídricos de São Paulo, Marco Antonio Mroz, que vai a Brasília para o encontro, a reunião foi convocada pelo presidente da ANA em razão de um possível conflito de interesses entre os Estados. "Será uma reunião dos três governos estaduais com o órgão de regulação para começar a discutir o compartilhamento das águas do Paraíba do Sul, que é um rio federal e banha os três Estados."

Segundo ele, cada governo vai expor seus projetos e suas preocupações para que a agência seja o árbitro da questão. "Pode até ser que não exista conflito, pois uma reunião desse porte ainda não aconteceu. Enfim, é preciso discutir a governança para uso múltiplo desse recurso hídrico."

Conforme o secretário paulista, a regulação deverá ser feita com base na vazão do rio em cada Estado. "É uma questão prática, a regulação deve ser feita por vazão. O rio passa pelos três Estados e a agência é o órgão que regula a utilização da água nos rios do país. Vamos discutir se é possível fazer a captação, onde e como será feita, e em qual volume."

Mais conteúdo sobre:
abastecimento paraíba do sul cantareira

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.