Estaduais cedem a Alckmin

As universidades públicas estaduais de São Paulo têm um histórico de negativas à intenção do governo federal de instituir um programa de cotas.

O Estado de S.Paulo

26 de novembro de 2012 | 02h02

Em abril, quando o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu pela legalidade das cotas raciais, as universidades estaduais informaram que não adotariam a cota. A situação começou a mudar quando, em outubro, o governador Geraldo Alckmin se reuniu com o Conselho de Reitores das Universidades Estaduais de São Paulo (Cruesp) e pediu que fosse elaborado um plano em resposta ao que foi estabelecido pela Lei de Cotas para as federais.

Desde então, o tema foi discutido em pelo menos cinco reuniões do Cruesp, com a presença de secretários de governo, até que na quinta-feira a proposta a ser levada ao governador foi definida, segundo informações do reitor da Unesp, Julio Cezar Durigan.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.