Estátua de Drummond perde os óculos no Rio

Acessório de bronze foi arrancado da estátua durante Parada Gay; peça foi encontrada e será recolocada

Alexandre Rodrigues, do Estadão,

20 de outubro de 2007 | 12h40

A estátua de Carlos Drummond de Andrade, que fica na Praia de Copacabana, na zona sul do Rio, está há uma semana sem os óculos característicos da figura do poeta mineiro, morto em 1987. Os óculos foram arrancados durante a passagem da Parada do Orgulho Gay, que levou cerca de 1 milhão de pessoas à Avenida Atlântica no último domingo.  Felizmente, um dos participantes que viu os óculos no chão entregou a peça na administração regional da prefeitura em Copacabana. Feita de bronze, assim como a estátua, a peça está sendo restaurada por técnicos da Fundação Parques e Jardins (FPJ), que deve fazer a reposição nos próximos dias. A escultura de Drummond num banco do calçadão de Copacabana, assinada pelo artista plástico mineiro Leo Santana, foi inaugurada em 2002 e inspirada numa foto do poeta num dos locais que mais freqüentava.  Apesar de ser alvo constante dos turistas que gostam de posar para fotos ao lado da figura do escritor, a estátua já foi vítima de atos de vandalismo, como pichações. No início desse mês, outra estátua de Drummond foi depredada, mas em Porto Alegre. O livro que ele oferecia ao colega Mario Quintana, homenageado ao seu lado numa praça da capital gaúcha, desapareceu.

Tudo o que sabemos sobre:
Carlos Drummond de Andrade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.