Estreito de Hormuz está aberto, após acidente com navio dos EUA

Um navio petroleiro e uma embarcação da Marinha dos Estados Unidos colidiram perto do Estreito de Hormuz neste domingo, mas o incidente não deixou feridos, e o tráfego de navios na região, por onde passa 40 por cento das exportações mundiais de petróleo transportadas pelo mar, não foi afetado, segundo autoridades.

Reuters

12 de agosto de 2012 | 10h07

"As duas embarcações estão OK, e o Estreito de Hormuz não foi fechado. As coisas estão normais", disse à Reuters um representante da guarda costeira de Omã.

A quinta frota norte-americana, que tem base no Barein, disse o que o navio petroleiro, de bandeira panamenha e propriedade japonesa, bateu contra o USS Porter, nas primeiras horas deste domingo.

A embarcação norte-americana permaneceu com energia própria depois da colisão, segundo um comunicado. Não foram dados detalhes sobre o acidente. Há uma investigação em andamento.

A situação no Golfo tem estado mais tensa neste ano, pois o Irã ameaçou fechar o estreito para navios estrangeiros por conta da disputa do país com os Estado Unidos sobre o programa nuclear de Teerã. Washington diz que mantém força naval no local para garantir a segurança na região.

(Reportagem por Andrew Hammond, Raissa Kasolowsky e Saleh al-Shaibany)

Mais conteúdo sobre:
HORMUZCOLISAOEUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.