Estresse crônico pode acelerar o câncer de ovários, diz estudo

Um grupo de cientistas americanos descobriu que o estresse crônico acelera o câncer de ovários, mas esse efeito pode ser neutralizado através de um remédio contra doenças cardíacas. Em um relatório publicado neste domingo pela revista Nature Medicine, os cientistas do Centro Oncológico Andersen da Universidade do Texas afirmam que existe uma relação mensurável entre o estresse e os processos biológicos que aumentam o crescimento e a propagação do tumor.Em testes realizados em ratos, os pesquisadores afirmam que os hormônios do estresse aderem aos receptores das células do tumor e estimulam fatores que fazem o câncer ser mais agressivo. "Este estudo proporciona novos conhecimentos sobre como o estresse crônico e os fatores desse estresse promovem o crescimento dos tumores", disse Anil Sood, professor de oncologia ginecológica.Na pesquisa, os cientistas bloquearam os receptores do hormônio do estresse com "bloqueador beta" conhecido como propranol, com o qual neutralizaram os efeitos do estresse sobre o crescimento tumoral."O conceito dos receptores hormonais do estresse e sua influência sobre o crescimento do câncer é muito novo. Até agora, não se sabia muito sobre a expressão destes receptores no câncer e, o que é mais importante, se tinham alguma importância funcional. Nossas conclusões abriram um novo campo na pesquisa", disse Sood, diretor do estudo.

Agencia Estado,

23 de julho de 2006 | 15h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.