Estudante entra em trabalho de parto no Enem no PI

A estudante Elaine da Silva, 20 anos, entrou em trabalho de parto no primeiro dia das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), neste fim de semana, em Teresina. Elaine deixou o local da prova às pressas para parir. Ela pediu ao Ministério da Educação (MEC) uma nova data para fazer a prova. O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, confirmou que Elaine fará uma nova prova, em data a ser marcada. Por enquanto, a estudante amamenta a pequena Luna Kimberly da Silva.

LUCIANO COELHO, ESPECIAL PARA A AE, Agência Estado

28 Outubro 2013 | 16h21

Elaine diz que se preparou bastante para o Enem. A estudante concorreria a uma das vagas para os cursos de administração ou biblioteconomia na Universidade Estadual do Piauí (Uespi) por meio do Sistema de Seleção Unificado (Sisu). "Pedi para ir ao banheiro quando percebi que a bolsa tinha rompido. Chamei o fiscal de prova pedindo ajuda. Como eu já sabia que a qualquer hora podia sentir as dores, minha mãe e minha cunhada ficaram do lado de fora da escola me esperando", afirmou, dizendo que respondeu seis questões da prova.

Elaine ainda penou até encontrar um local no sistema público de saúde. Ela andou procurou duas maternidades e foi atendida na da rede municipal de saúde, no bairro Promorar. Luna nasceu às 3h50 deste domingo, 27, pesando 3,160 quilos e medindo 49 centímetros. Ela e a mãe passam bem. Mercadante disse que Elaine tem o direito de requerer o exame de contingência. O recurso será avaliado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Além de Elaine, outras 155 candidatas gestantes foram inscritas no Enem no Piauí. De acordo com o MEC, são 6.689 em todo o País.

O ministro da Educação lembrou que um esquema foi preparado para atender as grávidas inscritas no exame. O MEC entrou em contato com todas elas e torno disponível equipe médica de plantão para todos os locais onde as estudantes fariam as provas. Uma estudante publicou uma foto do cartão de resposta do Enem na página no Facebook. Ela disse que a postagem foi um desabafo. Ela afirmou ainda que não fez a prova e pretende disputar uma vaga só em 2014. A internauta disse que está com a consciência tranquila e aberta a qualquer investigação do Inep.

O Inep anunciou que investiga para identificar os candidatos que postaram fotos do Enem em redes sociais, minutos antes do início da prova. As fotos postadas mostram, por exemplo, a folha de resposta. Conforme o Inep, alguns candidatos foram eliminados. Os candidatos foram desclassificados por usar aparelhos eletrônicos durante a aplicação das provas.

Mais conteúdo sobre:
Enem trabalho de parto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.