Estudantes aprovam paralisação geral amanhã na UnB

Os estudantes da Universidade de Brasília (UnB), que há uma semana estão acampados no prédio da Reitoria, vão aumentar a pressão sobre o reitor Timothy Mulholand. Em assembléia, eles decidiram programar para amanhã uma paralisação geral. Os alunos definiram ainda que somente após a saída do reitor será realizada uma assembléia para decidir sobre o fim da ocupação. Numa contra-ofensiva, o reitor e seus aliados mobilizaram passeatas a favor da desocupação. Na manhã de hoje, funcionários da universidade fizeram uma manifestação contra o movimento dos estudantes. Vestidos de branco, cerca de 300 servidores abraçaram simbolicamente o edifício. A alegação dos funcionários é que a reitoria precisa ser "reativada" para processar pagamentos de salários e outros benefícios.Mullholand e o decano de administração da UnB, Erico Weidle são suspeitos de se beneficiar do uso indevido de recursos da Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec). Eles teriam usados recursos destinados ao financiamento de projetos de pesquisa e desenvolvimento institucional para decorar o apartamento usado pelo reitor.

AE, Agencia Estado

09 de abril de 2008 | 20h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.