Estudantes desocupam prédio da Unicamp após 10 dias

A principal reivindicação dos alunos é a não-punição dos envolvidos na invasão

Agencia Estado

02 Julho 2007 | 09h36

Após permanecerem dez dias no prédio da diretoria acadêmica da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), aproximadamente cem alunos que passaram as noites no prédio e ao menos outros cem, que participavam do movimento grevista estudantil durante o dia, no local, deixaram a DAC, por volta das 14 horas desta quinta-feira, 28. O reitor, José Tadeu Jorge, já havia recebido pela manhã uma carta com os pedidos dos alunos, intermediados pela comissão mediadora. A prioridade dos estudantes, há dez dias, era o pedido de revogação do decreto do governador José Serra (PSDB), que cria a Secretaria de Ensino Superior. Nesta quinta-feira, porém, passou a ser a não-punição dos alunos, outro item de uma carta entregue ao reitor. Jorge informou, por meio de nota, que prosseguem os trabalhos de uma comissão de docentes formada para apurar as responsabilidades da ocupação do prédio. Outros pedidos, como a contratação de docentes e funcionários e a reformulação do cronograma de reforma da moradia estudantil, foram feitos em carta encaminhada à reitoria. O reitor informou que o cronograma das obras da moradia estudantil tem sido seguido conforme acordo estabelecido com os estudantes em março. Enquanto os alunos desocupavam o prédio, a reitoria aceitou negociar com uma comissão mediadora formada por oito professores e funcionários da universidade. Durante a desocupação, uma comissão de funcionários da diretoria acadêmica, da reitoria, estudantes e membros da comissão de negociação, vistoriou o prédio para averiguar possíveis danos ao patrimônio público. Com a desocupação do prédio, a Unicamp retoma nesta sexta-feira, 29, os serviços de emissão de diplomas, homologação de teses e dissertações e fornecimento de documentos acadêmicos a alunos de graduação e pós-graduação. A DAC atende 33 mil alunos entre 57 cursos de graduação e 127 programas de pós-graduação. O Diretório Central dos Estudantes considerou que a negociação "não teve nenhum elemento significativo de mudança", em avaliação feita no início desta noite. A negociação continuará nos próximos dias, segundo informou a coordenação do DCE.

Mais conteúdo sobre:
unicamp greve invasão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.