Estudantes do PR dizem que prova do Enem foi fácil

Os primeiros estudantes que fizeram a prova de hoje do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), no Bairro Prado Velho, em Curitiba, começaram a deixar as salas por volta das 15 horas. E todos afirmaram acreditar que, desta vez, não haveria problemas como os registrados em anos anteriores. Na PUC, onde mais de 13 mil pessoas fizeram os exames, não tinham sido registrados maiores incidentes até esta tarde.

EVANDRO FADEL, Agência Estado

22 de outubro de 2011 | 16h33

"Achei que estava fácil", disse Daniela Guedes, de 18 anos. Ela quer entrar na Universidade Federal do Paraná (UFPR) em Administração, curso para o qual já está aprovada nos vestibulares da própria PUC e da Universidade Positivo. Mesmo que não passe na federal, ela espera que a nota do Enem ajude a abater a mensalidade em outra faculdade. Apesar de não ter observado nenhum problema, ela acentuou que estava com medo. "É uma prova cansativa e fiquei com medo de ter que realizar tudo de novo", afirmou

Cauê Ferreira Geraldi, de 17 anos, não vai fazer vestibular este ano, mas optou pelo Enem. "Algumas questões eram muito grandes, mas fiz todas as que entendi", afirmou. Já Diogo Ribeiro dos Santos, de 24 anos, espera que a nota do Enem reduza ainda mais a mensalidade que já paga nas Faculdades Opet, onde faz Gestão em Tecnologia da Informação. Ele possui uma bonificação de 50%. "Tomara que consiga nota para uns 75%", disse.

Esta é a terceira vez que ele se submete ao Enem. "Estava mais fácil que no ano passado, bem menos complicado do que esperava", disse. "Mas também estou melhor preparado." Com a experiência de 2010, Santos afirmou que a primeira coisa que fez foi conferir toda a prova para ver se estava completa. "A princípio parece que este ano vai dar tudo certo." Ele preferiu não traçar qualquer expectativa para as provas do segundo dia. "Não sou muito bom em redação", lamentou.

Mais conteúdo sobre:
EnemprovaPR

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.